CINCO PEÇAS FÁCEIS

TÍTULO ORIGINAL:  FIVE EASY PIECES

DIREÇÃO: Milo Rau

Bélgica | 2016 | 1h30min | Classificação indicativa: 12 anos

Cinco Peça Faceis crédito Phile Deprez

19/3 às 19h
20/3 às 19h
21/3 às 19h

LOCAL:  Teatro Sérgio Cardoso

Comprar ingresso

Milo Rau parte da biografia de Max Dutroux, condenado em 2004 por violência sexual e assassinato, um caso que se tornou muito conhecido na Bélgica, para esboçar uma breve história desse país e refletir sobre a re(apresentação) dos sentimentos humanos. O elenco é formado por crianças e adolescentes atualmente entre 11 e 14 anos, que encenam esse trágico episódio, tomando como base testemunhos e reconstruções de histórias reais. Na montagem, os limites dos conhecimentos, dos afetos e das ações infantis são testados. Questões estritamente estéticas e dramatúrgicas unem-se às questões morais: como crianças compreendem o verdadeiro significado da narrativa, da empatia, da perda, da sujeição, da velhice, do desapontamento ou da revolta? Qual a reação do público ao vê-los representar ações de violência ou de amor? E, especialmente, o que as crianças e adolescentes demonstram sobre os próprios medos e desejos? Tudo isso estabelece uma experiência de confronto, que rompe com alguns tabus de nossa época. Cinco Peças Fáceis foi criado em colaboração com o CAMPO Arts Center, de Ghent, na Bélgica.

O encenador suíço Milo Rau nasceu em Berna, em 1977. Estudou Sociologia, Alemão e Estudos Romanos, em Zurique, Berlim e Paris. Atuou como jornalista em diversos jornais e revistas. Desde 2003, trabalha como diretor e autor independente. Em 2007, fundou o International Institute of Political Murder (IIPM), baseado na Suíça e na Alemanha, visando à criação e à circulação internacional de suas ações e produções teatrais e cinematográficas. Desde a sua fundação, o IIPM foca em uma abordagem multimídia de conflitos históricos e sociopolíticos reais, encenando temas como a execução de Nicolae e Elena Ceausescu (The Last Days of the Ceausescus), o genocídio em Ruanda (Hate Radio) e o caso do terrorista norueguês Anders B. Breivik (Breivik’s Statement). Já o projeto de performance (City of Change) representou a luta pelo direito dos estrangeiros ao voto em um parlamento na Suíça. Em The Congo Tribunal, Milo Rau utiliza a estrutura de um tribunal judicial para investigar as questões políticas, sociais e econômicas dos conflitos armados na região do Congo. Em 2018, o suíço assumiu a direção artística do NT GENT, um teatro público situado em Gent, na Bélgica, e publicou o NTGent Manifesto, documento que propõe dez diretrizes referentes às futuras produções da instituição.

Ficha Técnica

Concepção, texto e direção: Milo Rau
Texto e interpretação: Aimone De Zordo, Fons Dumont, Arno John Keys, Blanche Ghyssaert, Lucia Redondo, Hendrik Van Doorn, Pepijn Siddiki e Eva Luna Van Hijfte
Interpretação (em vídeo): Sara De Bosschere, Pieter-Jan De Wyngaert, Johan Leysen, Peter Seynaeve, Jan Steen, Ans Van den Eede, Hendrik Van Doorn e Annabelle Van Nieuwenhuyse
Dramaturgia: Stefan Bläske
Assistência de direção e preparação de elenco: Peter Seynaeve
Pesquisa: Mirjam Knapp e Dries Douibi
Equipe técnica: Bram Geldhof, Ian Kesteleyn e Piet Depoortere
Produção: CAMPO e IIPM
Assistência de produção e assistência às crianças: Ted Oonk e Valentine Galeyn
Coprodução: Kunstenfestivaldesarts Brussels 2016, Münchner Kammerspiele, La Bâtie – Festival de Genève, Kaserne Basel, Gessnerallee Zürich, Singapore International Festival of Arts (SIFA), SICK! Festival UK, Sophiensaele Berlin e Le phénix scène nationale Valenciennes
Produção executiva: CAMPO
– IIPM conta com o apoio de Senatsverwaltung für Kultur und Europa Berlin, Pro Helvetia, GGG Basel, Ernst Göhner Stiftung e Fachausschuss Tanz und Theater BS/BL (Basel).
– CAMPO conta com o apoio do Flemish Government, Province of East Flanders e City of Ghent

Este espetáculo é apoiado pelo programa «COINCIDÊNCIA» da Fundação suíça para a cultura Pro Helvetia
ENTREVISTA
Críticas
2019-03-20T14:51:16-03:00