“Dimensões públicas da crise e formas de resistência” é o tema de um seminário que discute relações entre política e estética, arte e contexto social, em três vias: a representação pública, o espaço público e a relação com o público. Tais questões permeiam também as demais ações: Diálogos Transversais, Pensamentos-em-Processo, Espaço de Ensaios, Prática da Crítica e Lançamentos de Livros, que convidam artistas e pesquisadores de teatro e de outros campos a prolongar a experiência dos espetáculos e ampliar o debate.

Curadoria: Kil Abreu e Luciana Romagnolli

Reflexões estético-políticas

Seminário: Dimensões públicas da crise e formas de resistência

Mediação: Patrick Pessoa

Mesa 1 “Condições de percepção e práticas de re-existência”.

 15/3, das 14h00 às 16h30 | Local: Itaú Cultural 

Observando o Brasil de agora, a crise política e a polarização social nos levam a pensar em termos de impasse. Nesta mesa, propomos pensar possibilidades de escapar dessa suposta aporia e questionar: em que medida a crise em que vivemos é também uma crise de percepção? Como se opera em nossas subjetividades um processo de anestesiamento e de embrutecimento do sensível e a captura do nosso desejo de criação? Retomando uma pergunta de Suely Rolnik (2011): “Como reativar nos dias de hoje a potência política inerente à ação artística, e esse poder de encarnar as mutações do sensível, participando, assim, da reconfiguração dos contornos do mundo?”. Que experiências artísticas e de pensamento, que formas de organização social, estariam em diálogo com a ideia de utopia e poderiam, enfim, iluminar a possibilidade de uma imaginação política por fora da ordem dada? O que são e como pensar formas de re-existência? ”.

Convidados confirmados: Heloisa Buarque de Hollanda, Marcio Abreu e Vladimir Safatle

Mesa 2 “Dissensos à esquerda: crise da representação como processo público”.

 16/03/17, das 14h às 16h30 | Local: Itaú Cultural 

Consequência notável das polarizações políticas demarcadas nos últimos anos, a representação institucional dos diversos campos da esquerda experimenta uma crise, marcadamente desde junho de 2013. A esquerda, até ontem no governo central, foi envolvida e envolveu-se em uma trama de grandes proporções em torno de projetos importantes para o país, mas também em torno da luta estrita por lugares de poder. Em outra frente, nesse mesmo período, as ruas e os próprios partidos explicitaram visões variadas sobre as tarefas e estratégias das esquerdas, a maior parte delas, pode-se dizer, rejeitada nas últimas eleições. O impeachment da então presidenta Dilma Rousseff pode ser tomado como o ápiceprático e também simbólico desse processo. Foi lido por muitos como “golpe”e por outros apenas como o ponto de chegada natural, embora convulsivo, no percurso de uma gestão conservadora. Nesta mesa da MITsp, a intenção é avaliar as diferentes narrativas a respeito dos acontecimentos recentes, o que significa hoje este dissenso e as possibilidades de fazê-lo funcionar a favor do campo progressista. Propomos partir de pontos de vista não alinhados, o que julgamos importantes ao debate.

Convidados confirmados: Ferréz, Ivana Bentes e Lúcio Flávio Pinto

Mesa 3 “Lugares de fala e a emergência das micropolíticas”

 17/3, das 14h às 16h30 | Local: Itaú Cultural

O campo dos direitos humanos e seus agentes têm disparado, nos últimos anos, formas organizadas de militância em torno de políticas específicas – de gênero, raça, sexualidade, faixas etárias etc. A emergência de micropolíticas surge por vezes articulada aos modos tradicionais de enfrentamento, que tomam por base a luta de classes; outras vezes, já se posicionam fora dessa perspectiva, pelo viés da interseccionalidade ou abraçando a segmentação como estratégia inadiável à conquista de direitos.  Nesse contexto, tem sido recorrente o tema dos lugares de fala. Nas palavras de Renan Quinalha, algo que “remete, simultaneamente, a um duplo movimento:  à tomada de um ponto de enunciação que deveria pertencer por legitimidade de experiência ao oprimidx e, ao mesmo tempo, ao despejo do titular de um lugar ocupado, por força da dominação, por aquelxs que se apossaram das tradições de fala em uma sociedade estratificada”. Nesta mesa da MITsp, queremos discutir os modos como as demandas pelos lugares de fala têm encontrado espaço e tensionado o processo mais amplo da sociabilidade brasileira, provocando um visível recrudescimento do conservadorismo. E, em consequência, renovadas tentativas, por vezes violentas, de naturalizar essas posições de classe, etnia, sexo e variantes.

Convidados: Rosane Borges, Suely Rolnik e Todd Tomorrow

Mesa 4 “A rua como palco de protestos: estratégias estético-políticas de mobilização pública”.

19/03, das das 14h às 16h30 | LocalCasa das Rosas

A partir das ocupações da avenida Paulista e de manifestações Brasil afora, convocadas por distintas frentes políticas e movimentos sociais, propomos um debate sobre as formas de apropriação do espaço público, refletindo sobre as estratégias performativas, poéticas e discursivas empregadas nas mobilizações sociais, especialmente desde junho de 2013 no Brasil. De que maneiras o espaço público é território de disputa simbólica no país? Como fazer uso do seu potencial de resistência e transformação social?

Convidados: Marcelo Freixo, Nina Caetano e Pablo Ortellado

Conferência

“E com o público o que fazemos? Teatralidade, público e democracia”.

Com o pesquisador Óscar Cornago (Espanha)

15/3, das 16h30 às 18h30 | Local: Itaú Cultural

Mesa redonda

“Teatro na Palestina: relações entre política e arte”

Com o ator e diretor palestino Ihab Zahdeh, a atriz chilena de ascendência palestina Andrea Giadach, do espetáculo Mateluna, e a pesquisadora em Artes Cênicas e ativista brasileira Maria Fernanda Vomero.

Mediação: Ferdinando Martins

18/3, das 13h às 15h | Local: TUSP

Entrevista pública

Com o diretor e dramaturgo Guillermo Calderón

Os críticos Daniele Avila Small(Revista eletrônica Questão de Crítica) e Welington Andrade (Revista Cult) entrevistam o dramaturgo e diretor chileno Guillermo Calderón, um dos mais importantes autores de teatro latino em sua geração.

20/3, das 11h às 13h | LocalTeatro de Contêiner Mungunzá

Diálogos Transversais

Mediação: Cristiane Zuan Esteves e Ruy Cortez

Comentários críticos realizados logo após uma das apresentações de cada espetáculo, no próprio espaço do teatro e em diálogo com o público. Convidamos artistas e pensadores provenientes de outros campos do conhecimento para lançarem olhares transversais, cruzarem as fronteiras e ampliarem as leituras das obras.

“Avante, Marche” – Tom Zé. 15/3*

“Tão Pouco Tempo” e “Revolução em Pixels – Reginaldo Nasser. 15/3

 “Por que o Sr. R Enlouqueceu? Maria Homem . 16/3

“Branco: o cheiro do lírio e do formolAna Paula Maia. 18/3

“Para que o Céu Não Caia” – Davi Kopenawa. 18/3

“A Missão em Fragmentos: 12 cenas de descolonização em legítima defesa” – Silvio Luiz de Almeida. 19/3

“Cavalgando Nuvens” – Ilana Feldman. 19/3

“Black Off”– Djamila Ribeiro. 20/3

“Mateluna” – Edson Teles. 20/03

*A MITsp gostaria de informar que, por motivo de saúde, a ação Diálogos Transversais, marcada para o final da sessão de Avante, Marche!, com Tom Zé, foi cancelada 

Diálogos Tranversais

Espaço de Ensaios

Artigos escritos por pesquisadores e pesquisadoras dos programas de pós-graduação em artes cênicas das universidades brasileiras sobre as trajetórias criativas dos artistas convidados para a MITsp

“Avante, Marche”  – Fernando Villar (UNB)

Mostra Rabih Mroué: “Tão Pouco Tempo” , “Revolução em Pixels” e “Cavalgando Nuvens”  – Daniele Avila Small (UNIRIO)

“Por que o Sr. R Enlouqueceu?” – Stephan Baumgartel (UDESC)

“Para que o Céu Não Caia” – Christine Greiner (PUC-SP)

“A Missão em Fragmentos: 12 cenas de descolonização em legítima defesa” – José Fernando Azevedo (USP)

“Branco: o cheiro do lírio e do formol” – Luiz Fernando Ramos (USP)

“Black Off” – Nina Caetano (UFOP)

“Mateluna” – Ferdinando Martins (USP)

Pensamento-em-Processo

Encontros com os artistas dos espetáculos da mostra, que compartilharão questões de seus processos criativos.

 “Avante, Marche” com o diretor musical Steven Prengels e o ator Wim Opbrouck . Mediação Fernando Villar (UNB), 15/03, de 10h às 11h | Local: Itaú Cultural.

Mostra Rabih Mroué  “Tão Pouco Tempo”“Revolução em Pixels” e  “Cavalgando Nuvens”, com o diretor Rabih Mroué e os performers Lina Majdalanie e Yasser Mroué.  Mediação Pollyanna Diniz (USP), 16/03, de 10h à 12h | Local: Itaú Cultural.

“Por que o Sr. R Enlouqueceu? com a diretora Susanne Kennedy. Mediação StephanBaumgartel (UDESC), 17/03, de 11h30 às 12h30 | Local: Itaú Cultural.

“A Missão em Fragmentos: 12 cenas de descolonização em legítima defesa” com o diretor Eugênio Lima. Mediação José Fernando Azevedo (USP), 18/03, de 10h às 11h | Local: Itaú Cultural.

“Branco: o cheiro do lírio e do formol” com os diretores Alexandre Dal Farra e Janaina Leite. Mediação Luiz Fernando Ramos (USP), 18/03,  de 11h às 12h | Local: Itaú Cultural.

“Mateluna” com o diretor e dramaturgo Guillermo Calderón e os atores da montagem.  Mediação Ferdinando Martins (USP), 19/03,  de 10h às 11h | Local: Itaú Cultural.

“Black Off” com a diretora e performer Ntando Cele.  Mediação Nina Caetano (UFOP), 19/03, de 11h às 12h | Local: Itaú Cultural.

“Para que o Céu Não Caia”com a diretora Lia Rodrigues. Mediação Christine Greiner (PUC-SP), 20/03,  de 10h às 11h | Local: Itaú Cultural.

Prática da Crítica

Crítica Diária

Produção diária de críticas sobre os espetáculos da mostra para veiculação impressa e eletrônica (www.mitsp.org). Participam críticos da DocumentaCena – Plataforma de Crítica, formada pela revista eletrônica Questão de Crítica (Mariana Barcelos/ Renan Ji), pelo site Horizonte da Cena (DanielToledo) e pelo blog Satisfeita,Yolanda? (Ivana Moura); do Site Agora – Crítica Teatral (Michele Rolim); da revista Antro Positivo (Ruy Filho); além dos convidados Welington Andrade e Miguel Arcanjo Prado.

Coordenação: Soraya Belusi

Crítica Imediata

Proposta pela revista Antro Positivo, fundada por Ruy Filho e Patrícia Cividanes, a Crítica Imediata é realizada com palavras de primeiro impacto. Uma resenha curta, escrita logo após a saída do espetáculo e publicada nas redes sociais: facebook.com/antropositivo ou www.antropositivo.com.br

Críticos: Ruy Filho, Ana Carolina Marinho, Claudio André, Marcio Tito, Maria Teresa Cruz e Patrícia Bergantyn

Mesa “Crítica e Curadoria”

Mediação: Michele Rolim (Agora Crítica Teatral)

Proposta pelo Agora – Crítica Teatral, a mesa contará com três curadores: Marcelo Bones (Observatório dos Festivais), Felipe de Assis (FIAC Bahia) e Cesar Augusto (Tempo Festival), reunidos para compartilhar suas experiências e conversar sobre os diversos pensamentos curatoriais praticados pelos festivais de artes cênicas, especialmente no Brasil. A discussão abarcará a dinâmica da curadoria em nosso país, as relações entre os campos de atuação dos modelos artístico e de gestão e a curadoria entendida como autoria. Ainda entre os temas do encontro: existe hoje no Brasil um modelo hegemônico de pensamento curatorial? Que implicações decorrem de um festival que possui o mesmo responsável pela gestão e pela curadoria?

16/03, das 17h às 19h | Local: CCSP

Mesa “Crítica e Engajamento”

Mediação: Ivana Moura (Satisfeita,Yolanda?)

Proposta pela DocumentaCena – Plataforma de Crítica, a conversa visa compartilhar diferentes perspectivas e experiências relacionadas à participação de artistas e críticos de artes em reflexões, assuntos e circunstâncias de relevância política e social. Participam da mesa Maria Fernanda Vomero (SP), Daniel Toledo (MG) e Óscar Cornago (Espanha).

20 de março, das 17h às 19h | Local: TUSP

Mesa “Cena Contemporânea: panoramas críticos”

Os pesquisadores Edélcio Mostaço, Sílvia Fernandes, Óscar Cornago e Christine Greiner acompanharão a programação da MITsp e produzirão um texto crítico cada, a partir de olhares transversais sobre os espetáculos da mostra rumo a uma reflexão sobre a cena atual. Esses textos panorâmicos serão apresentados ao público na mesa de debate.

 21 de março, das 10h às 12h | Local: Itaú Cultural

Lançamentos

Gordon Craig: Rumo a um novo teatro e Scene

O livro reúne duas obras inéditas no Brasil e nunca editadas em português do artista inglês (ator, encenador, gravurista e cenógrafo) Gordon Craig (1878-1966), que revolucionou a cena moderna. O primeiro texto é Rumo a um novo Teatro, publicado em 1913, e o segundo, Scene, publicado em 1923. Ambos trazem gravuras do próprio Craig. Tradução e apresentação de Luiz Fernando Ramos.
O lançamento será precedido pelo debate “Gordon Craig: legado à cena contemporânea” (confira detalhes nos “Eventos Especiais”).

17/3, das 18h às 20h | Local: Sesc Pinheiros

Dramaturgia brasileira contemporânea

Lançamento das obras de quatro dramaturgos brasileiros: Alexandre Dal Farra (editora Javali), Grace Passô, Pedro Kosovski e Vinicius Calderoni (editora Cobogó). A Trilogia Abnegação reúne três peças teatrais escritas por Alexandre Dal Farra, que investigam a estrutura política brasileira atual e o desenrolar do único governo que se aproximou minimamente da esquerda no Brasil. A trilogia foi encenada pelo grupo Tablado de Arruar. Grace Passô, dramaturga, diretora e atriz, lança Mata Teu Pai. Na obra, à luz do mito de Medeia, a autora reflete sobre nosso tempo e suas fronteiras. Caranguejo Overdrive, escrita por Pedro Kosovski, acompanha a volta de Cosme, catador de caranguejos, ao Rio de Janeiro, cinco anos após ter sido convocado para lutar na Guerra do Paraguai. O espetáculo, dirigido por Marco André Nunes, ganhou os prêmios Shell (Direção, Texto e Atriz), Cesgranrio (Direção e Texto) e APTR (Autor, Direção e Atriz). Vinícius Calderoni publica Arrã, peça pela qual recebeu o prêmio Shell de melhor Autor. O lançamento será precedido por uma conversa entre os dramaturgos (confira detalhes nos “Eventos Especiais”).

18/3, das 15h às 17h | Local: TUSP

Coleção Eid Ribeiro

A editora Javali lança em três volumes a obra de peças e crônicas do encenador e dramaturgo mineiro Eid Ribeiro. Dentre as 15 peças, escritas entre a década de 1970 e os dias atuais, a coleção apresenta desde as celebradas Lusco-fusco e Anjos e Abacates, já encenadas em várias cidades do país, até peças inéditas do autor, como Nightvodka e Tinto e a Baleia. A coleção agrupa, no terceiro volume, 48 crônicas escritas por Eid para o Jornal O Tempo entre os anos de 1996 e 2001.
O lançamento será precedido por uma conversa entre Eid Ribeiro e a crítica de teatro Soraya Belusi, autora do prefácio do livro.

19/3, das 12h30 às 13h30 | Local: TUSP

A missão

A n-1 edições, em parceria com a MITsp 2017, lançará durante a mostra o primeirovolume da coleção Heiner Müller com o texto A Missão. A decisão de iniciar esse novo projeto editorial dentro da MITsp fortaleceu-se porque o coletivo Legitima Defesa irá apresentar no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer, dentro da programação da mostra, o espetáculo A Missão em Fragmentos: 12 cenas de descolonização em legítima defesa, baseadono mesmo texto deMüller e dirigido porEugênio Lima. A ideia é difundir e entrecruzar pensamentos críticos brasileiros e alemães de épocas diferentes e, ao mesmo tempo, tão próximas. Exclusivamente durante a MITsp o livro da n-1 edições será acompanhado por uma publicação da adaptação de Eugênio Lima em formato de cordel.

17, 18, 19/03, de 19h às 20h30 | Local: Auditório Ibirapuera , e durante toda a MITsp

TREMA! Revista de Teatro

A 9ª edição da revista de arte e política idealizada e mantida pela Trema! Plataforma de Teatro, sediada no Recife, é dedicada a pensar o negro. A publicação traz textos de nomes como Patrícia Collins, Giovana Xavier, Eugênio Lima, Marconi Bispo, Fernanda Julia e ilustrações da artista plástica Criola.

20/3, às 13h | Local: Itaú Cultural

Pandemia

A série Pandemia de cordéis reúne dez cordéis político-filosóficos, todos eles com capas estampadas manualmente. O lançamento da caixa faz parte da parceria entre a MITsp e a n-1 edições, complementando a performance pública Manifestos Pandemia, que será realizada na cidade de São Paulo durante a mostra.

Durante toda a MITsp

EVENTOS ESPECIAIS

CONFERÊNCIA

“Teatro alemão contemporâneo”
Com o pesquisador Didier Plassard(França)
17/3, das 10h às 11h30 | Local: Itaú Cultural

MASTER CLASS

“Teatralidade, violência e performatividade da dor”
Com a pesquisadora Ileana Diéguez Caballero (México)
18/3, das 17h às 19h | Local: Itaú Cultural

DEBATES

“Gordon Craig: Legados à Cena Contemporânea”
Com os pesquisadores Didier Plassard e Luiz Fernando Ramos
17/3, das 18h às 20h | Local: Sesc Pinheiros

“Dramaturgia brasileira contemporânea”
Com os dramaturgos Alexandre Dal Farra, Grace Passô, Pedro Kosovski e Vinicius Calderoni
18/3, das 15h às 17h | LocalTUSP

SEMINÁRIO Discursos sobre o Não Dito: racismo e a descolonização do pensamento

O seminário convida pensadoras de distintas áreas do conhecimento a refletir sobre os desdobramentos da escravidão negra e as formas do racismo no Brasil e no mundo. O objetivo édesconstruir os legados do pensamentocolonial, colocando em cheque modos de essencialização dos “outros”, que se consolidaram como sistemas hegemônicos e como uma cultura de violência e opressão, que não pode ser eliminada por decreto. É preciso transformar modos de ser e, sobretudo, alterar imaginários. É preciso restituir aos“outros” o direito de se autorrepresentar.

Curadoria: Eugênio Lima e Majoí Gongora

Mesa 1 “Negritude” e “Branquitude”: complexificando as discussões sobre raça e as estruturas de privilégio

O debate será instaurado pela historiadora brasileira Giovana

Xavier, feminista negra interseccional e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e pela intelectual sul-africana Nicky Falkof, da Universidade de Witwatersrand (Joanesburgo). A mesa explorará assuntos relacionados aos processos de racializaçãodas relações no Brasil e na África do Sul.
20/03, das 14h às 17h  | Local: Itaú Cultural

Mesa 2 Feminismo Negro: conhecimento e autodeterminação

Contaremos com a participação da feminista e filósofa brasileira Djamila Ribeiro e da renomada socióloga norte-americana Patricia Collins, da Universidade de Maryland. A mesa discorrerá sobre a construção social do feminismo negro, os elementos constitutivos desse pensamento, suas distinções e os desafios que estão postos na contemporaneidade.
21/3, das 14h às 17h | Local: Itaú Cultural