Antes do Tempo Existir

ARTISTA: Andreia Duarte, Denilson Baniwa, Kenia Dias, Lilly Baniwa e Ricardo Alves Jr.

Brasil, 2022 |  80 min. | Classificação indicativa: LIVRE

Estreia

Antes do Tempo Existir

10/6, às 18h

11/6, às 21h

12/6, às 21h

LOCAL: Teatro Cacilda Becker

Sinopse

Uma criação coletiva de artistas indígenas e não indígenas, o espetáculo busca a memória longínqua dos povos originários e um diálogo entre as variadas existências no planeta. O trabalho é um desdobramento dos conceitos apresentados em O Silêncio do Mundo (2020), palestra-performance com Ailton Krenak, e coloca em evidência não o tempo cronológico ou a lógica de produtividade da sociedade ocidental. Mas, sim, um tempo dilatado, que expande as possibilidades de comunicação entre seres diversos, humanos e não humanos. Aqui, abre-se espaço para transformações e conexões entre o animal, o vegetal, os espíritos da floresta, a chuva, o vento. Em cena, o elenco se alterna em depoimentos, bebendo em suas próprias biografias, e passagens performáticas, borrando, assim, a fronteira entre o real e a ficção.

Histórico

A Outra Margem é uma produtora com ações multidisciplinares que entrelaçam teatro, mostras artísticas, exposições, projeções em vídeo e produção de livros. Destaca-se a idealização e produção do TePI – Teatro e Povos Indígenas, ação artística que, em parceria com povos originários, estimula realizações que pensem a reinvenção do mundo em sua potência criativa. Entre as criações de espetáculos, estão O Silêncio do Mundo (2020), com Ailton Krenak, e Antes do Tempo Existir (2022), que se deu por meio de imersões criativas em 2021 e 2022, ao lado de artistas indígenas. A produtora também é responsável pelo livro Teatro e os Povos Indígenas, em cocuradoria com Naine Terena e a editora n-1.

FORTUNA CRÍTICA

“Mas como explicar um espetáculo tão profundamente emocionante e criativo quanto O Silêncio do Mundo, segundo a concepção de Andreia Duarte e de Ailton Krenak? Aquela rede artesanal estendida por sobre a cabeça dos intérpretes, a simplicidade de Ailton e a dedicação de Andreia emocionaram a todos que ali estivemos. Efetivamente, foi como se, naquela noite, estivéssemos todos reunidos em torno do fogo original, a ouvir o ruído do passado que o silêncio do presente pretende destruir.” 

ANTONIO HOHLFELDT, Jornal do Comércio

Ficha Técnica

Direção geral e concepção: Andreia Duarte
Direção cênica e dramaturgia: Andreia Duarte, Kenia Dias e Ricardo Alves Jr. 
Criação coletiva: todos artistas envolvidos, com destaque para Jaider Esbell (in memorian) e Zahy Guajajara, que estiveram presentes na primeira imersão
Artistas em cena: Andreia Duarte, Denilson Baniwa e Lilly Baniwa
Assistente de direção e iluminação: Lucas Pradino 
Trilha sonora: Barulhista
Espaço cênico e figurino: Renato Bolelli
Desenho Cosmos e Performance do Pajé Onça: Denilson Baniwa
Oficina de voz: Silvana Stein 
Produção: André Lucena (2021/2022) e Juliana Pautilla (2022/estreia) 
Produção técnica local: Victor Gally (SP Escola de Teatro), Will Zimolo (Biblioteca Mário de Andrade)
Criação de vídeo e coordenador técnico: Rodrigo Gava 
Fotos: Amanda Dafoe, Francio de Holanda e Ricardo Alves Jr.
Comunicação visual e site: Casaplanta – Amanda Dafoe 
Comunicação: Luna Rosa e Olívia Maia 
Catering: Cléria de Oliveira Moura
Parceria: Casaplanta, Móbili, SP Escola de Teatro, Translapas
Apoio cultural: Goethe-Institut e Biblioteca Mário de Andrade 
Correalização: Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, através da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc e MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo 
Realização: Outra Margem