De Carne e Concreto – Uma Instalação Coreográfica

--De Carne e Concreto – Uma Instalação Coreográfica

Grupo: Anti Status Quo Companhia de Dança
Quando: Dia 9 e 10/3  às 20h
Onde: Tendal da Lapa
Duração: 140 minutos
Classificação indicativa: Acima de 18

Sinopse

De Carne e Concreto – Uma Instalação Coreográfica propõe uma reflexão sobre a condição humana nas grandes cidades, sob a perspectiva do corpo. O espetáculo começa quando o público entra no espaço performático usando sacolas de papel na cabeça, como máscaras. Tem início, então, uma espécie de jogo em que ficção e realidade se confundem, e a obra coreográfica se desvela. O espaço e o público são partes constituintes da obra, que coloca o corpo e o comportamento humano no centro das questões dramatúrgicas.

Na fronteira entre performance, intervenção urbana, artes visuais, dança contemporânea e experimentos sociais, o trabalho da Anti Status Quo Companhia de Dança, de Brasília (DF), questiona como viver em sociedade em grandes centros urbanos e a lógica do sistema econômico atual. O espetáculo estreou em novembro de 2014, na Galeria Athos Bulcão, do Teatro Nacional, em Brasília, e passou pelo Festival do Teatro Brasileiro, em Belo Horizonte, Festival Internacional Vivadança, em Salvador, Cena Contemporânea, em Brasília, Movimento Internacional de Dança e Mostra de Dança XYZ, os dois últimos também da capital federal.

Histórico 

A Anti Status Quo Companhia de Dança é um dos mais ativos e reconhecidos grupos independentes de dança contemporânea do centro-oeste do Brasil. Foi fundado em 1988, em Brasília (DF), pela coreógrafa Luciana Lara, que divide a direção com o produtor Marconi Valadares. O grupo se destaca com criações experimentais, pesquisa de movimento e linguagem da dança, dramaturgias críticas e políticas, além do diálogo com as artes visuais e a filosofia. Trabalhos recentes investigam a relação entre corpo e cidade, comportamento social, arte como experiência, arte relacional e participação do espectador. O grupo usa diferentes formatos para suas criações, como instalações, intervenções urbanas, exposições e ações site-specific.

Em seus 29 anos de trabalho, a companhia criou dez peças coreográficas: De Carne e Concreto – Uma Instalação Coreográfica (2014), Autorretratodinâmico (2009), Cidade em Plano (2006), Aletheia (2003), Coisas de Cartum (2002), Dalí (2000), Nada Pessoal (1998); No Instante (1996), Anti Status Quo Dança (1994) e Efeitos (1991).

Ficha Técnica

Grupo: Anti Status Quo Companhia de Dança (Brasília – DF)
Direção Artística, Dramaturgia e Conceito: Luciana Lara
Pesquisa e Concepção: Luciana Lara em colaboração com bailarinos e artistas convidados
Elenco: Camilla Nyarady, Cristhian Cantarino, Déborah Alessandra, João Lima, Luciana Matias, Marcia Regina, Raoni Carricondo e Roberto Dagô
Bailarinos Colaboradores do Processo Criativo: Camilla Nyarady, Carolina Carret, Cristhian Cantarino, João Lima, Luara Learth, Raoni Carricondo, Robson Castro e Vinícius Santana
Artistas Convidados Colaboradores do Processo Criativo: Marcelo Evelin, Gustavo Ciríaco e Denise Stutz
Figurino e Máscaras: Luciana Lara e elenco
Assessoria de Iluminação: James Fensterseifer e Marcelo Augusto
Produção: Marconi Valadares
Fotos Divulgação: Mila Petrillo

Compartilhar
2018-03-06T13:59:45+00:00 22 de fevereiro de 2018|MITbr-espetaculos|