Árvores Abatidas

--Árvores Abatidas

Direção: Krystian Lupa
2/03 às 18h | 3/03 às 18h | 4/03 às 17h
SESC Pinheiros
4h40min de duração, com um intervalo

Espaço de ensaios

Pedro Vilela (mestrando/UFBA)

Sinopse

O jantar de reencontro de um velho grupo de amigos artistas transforma-se em uma espécie de ressurreição para um dos seus integrantes. A boêmia e a energia rebelde de outros tempos deram lugar aos contratos assinados, aos fartos contracheques, ao status. Mas eles se permitem verbalizar temores encobertos e inconscientes, lamentos, feridas e necessidades. O espetáculo pretende ser uma jornada radical às entranhas do mundo contemporâneo, para além da superfície das relações sociais e convenções culturais. Treze personagens dialogam sobre o papel da arte, sobre a liberdade e a subordinação a um poder superior.

Histórico

O diretor polonês Krystian Lupa (1943) é considerado um dos grandes mestres das artes cênicas contemporâneas. Após estudar arte, cinema e teatro, Lupa começou na direção no final dos anos 1970. Fascinado por autores como Dostoiévski, Rilke, Tchékhov e pelo austríaco Thomas Bernhard, traduziu e assinou adaptações para o teatro de inúmeros textos, além de conceber os cenários das montagens. Entre 1980 e 2013, dirigiu o Stary Teatr, na Cracóvia, onde encenou algumas de suas mais importantes produções. Recebeu, dentre muitos outros, os prêmios Austrian Cross of Merit, French Order of Arts and Letters e o European Theatre Award.

O Polish Theatre (Teatr Polski) in Wrocław celebrou 70 anos em 2016, sendo a mais antiga companhia de teatro de Breslávia e a segunda maior da Polônia. Em 1945, um grupo pioneiro foi para a cidade, com Bolesław Drobner e Adam Kabaja, esse último encarregado de preservar os teatros da região. Kabaja cuidou do único teatro que sobreviveu à guerra – o antigo Teatro da Cidade, Ópera. Este local, que passou a chamar Great Theatre depois da guerra, foi o primeiro palco da companhia. Cinco anos depois, o grupo conquistou seu próprio espaço. Atualmente, o Polish Theatre in Wrocław possui três palcos: Jerzy Grzegorzewski, destinado a encenações contemporâneas de clássicos, Na Świebodzkim, para encenações experimentais, e Kameralna Stage, que recebe comédias e espetáculos musicais. O atual diretor da companhia é Cezary Morawski.

Ficha Técnica

Adaptação, Direção, Cenário e Iluminação: Krystian Lupa
Baseado no romance de Thomas Bernhard
Tradução: Monika Muskała
Figurinos: Piotr Skiba
Arranjos Musicais: Bogumił Misala
Vídeo: Karol Rakowski e Łukasz Twarkowski
Assistentes de Direção: Oskar Sadowski, Sebstian Dysiak and Amadeusz Nosal
Elenco: Piotr Skiba, Halina Rasiakówna, Wojciech Ziemiański, Marta Zięba, Jan Frycz, Ewa Skibińska, Bożena Baranowska, Andrzej Szeremeta, Adam Szczyszczaj, Michał Opaliński, Marcin Pempuś, Anna Ilczuk, Jadwiga Ziemińska
Diretor de Cena: Iwona Rólczyńska
Visagismo: Mateusz Stępniak
Camareira: Joanna Zborowska
Cenotécnicos: Adam Buraczek, Bogdan Dyląg, Grzegorz Kloc, Łukasz Szyszka
Aderecista: Marek Iwanaszko
Realização da Iluminação e das Projeções: Dariusz Bartołd, Paweł Olszewski e Kazimierz Blacharski
Realização de Som: Maciej Kabata, Wojciech Bielach
Produção: Teatr Polski na Breslávia

AS APRESENTAÇÕES DO ESPETÁCULO NA MITsp CONTAM COM O APOIO DO INSTITUTO ADAM MICKIEWICZ

Compartilhar
2018-02-19T19:08:52+00:00 29 de Janeiro de 2018|Espetáculos|